Seguidores

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Carlos Drummond de Andrade

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida.
Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.
Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 4 de maio de 2011

A carta:

A carta:

Madri, 27 de Abril de 1998

Querida Amiga: Odete
 São cinco horas da tarde e o dia parece noite, o frio regela meus pés que tento aquecer com meias grossas, sem nenhum efeito, as dores são constantes, as mãos tremulas. A doença avançou a passos largos e falta-me energia.
 A minha cadela “vermute” deitada no tapete olha-me como a se despedir, de vez em quando levanta-se chega bem pertinho abana sua calda e deita-se novamente, deve estar conferindo se ainda estou viva...
Já estou bem fraca e custa-me escrever-lhe esta carta que tento concluir há horas é penoso e difícil. A enfermeira contratada quis ajudar-me, mas isso é tão pessoal, tão meu, tão nosso...
Amiga para encurtar este sofrimento vou ao ponto : Quero apenas despedir-me de você, pois sei que não nos veremos mais, e pedir-lhe para que se lembre de mim quando ainda era uma jovem alegre e saudável, das nossas tardes dançantes quando apostávamos quem dançaria com mais rapazes, lembre de nossas peraltices no ginásio,  das confidências que trocamos, de nossas fugidas da aula para irmos ao cinema, dos nossos primeiros namorados, nosso primeiro amor que tantas lagrimas nos fez derramar, lembre-se do dia que você casou e fui sua dama, e depois eu casei e você com aquela barriga de oito meses foi a minha “daminha, como você jocosamente dizia.
Ah, querida amiga que pena que tudo acabou assim tão longe uma da outra fisicamente, mas sinto sua presença a meu lado, seu sorriso amigo, sua voz doce
Creio que um dia, bem distante para você,  tornaremos a nos encontrar e retomar nossa bonita amizade.
Sinto muita saudade de você, mas, tudo que vivemos passa agora por minha mente
como um bálsamo para me fazer esquecer por momentos que sejam esta dor infernal.
Amiga fique com Deus e continue sendo feliz por você e por mim.
Muito carinho de sua eternamente amiga
Juliana

Juliana Villa Dias
l938 a 1998

Mario Quintana


Não Olhe para os Lados

Seja um poema, uma tela ou o que for, não procure ser diferente.
O segredo único está em ser indiferente.

Mário Quintana 

LEGÍTIMA APROPRIAÇÃO
Copio e assino essa frase encontrada no velho Schopenhauer: "A soma de barulho que uma pessoa pode suportar está na razão inversa de sua capacidade mental".

Mário Quintana

 

Eleanor horse (Kinuko - pintora e desenhista)

sábado, 9 de abril de 2011

Vou-me Embora pra Pasárgada (Manuel Bandeira)

Vou-me Embora pra Pasárgada (Manuel Bandeira)
Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada
Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que nunca tive
E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei em burro brabo
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe-d'água
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada
Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcalóide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namorar
E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar
Lá sou amigo do rei
Terei a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada.

terça-feira, 15 de março de 2011

Qiang Huang e Justin Clements

Pintores que admiro por suas tecnicas, cores que empregam e estilo primoroso :
Qiang Huang
LIGTH 1
ON AN OLD BOOK

PINTOR JUSTIN  CLEMENTS

BLACK CLAY JUG 
Espero que gostem.                                                                                                                                                    

quarta-feira, 2 de março de 2011

Vamos continuar esta estória?

Ela estava ali sozinha, tinha um encontro marcado e se propôs a ver toda a verdade.
Com a sensibilidade a flor da pele, já podia ver todo o passado com nitidez sem medos.
Pressentia os acontecimentos que a levariam a tomar uma decisão bem séria e definitiva,
Não poderia continuar a fingir que estava tudo bem. A porta se abriu, ele sem dizer uma palavra sentou-se a sua frente e ficou a olhá-la, analisando-a dos pés à cabeça.
-Situação incomoda, pensava ela, mas já sabia que seria assim, esta era sua arma desconcertá-la...
Passaram-se assim alguns minutos naquele silêncio até que...    

terça-feira, 1 de março de 2011

Samba do Avião

Samba do Avião

Tom Jobim

Composição: Antônio Carlos Jobim
Minha alma canta
Vejo o Rio de Janeiro
Estou morrendo de saudades
Rio, seu mar
Praia sem fim
Rio, você foi feito prá mim
Cristo Redentor
Braços abertos sobre a Guanabara
Este samba é só porque
Rio, eu gosto de você
A morena vai sambar
Seu corpo todo balançar
Rio de sol, de céu, de mar
Dentro de mais um minuto estaremos no Galeão
Copacabana, Copacabana
Cristo Redentor
Braços abertos sobre a Guanabara
Este samba é só porque
Rio, eu gosto de você
A morena vai sambar
Seu corpo todo balançar
Aperte o cinto, vamos chegar
Água brilhando, olha a pista chegando
E vamos nós
Pousar...
(Pelo aniversário da cidade do Rio de Janeiro)

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Aos Amigos

Há um tempinho atrás eu pensava:- Nunca vou usar internet, minha praia é outra, computador nada tem a ver comigo-.
Mas por insistência de familiares cedi.
E hoje penso  como eu vivia antes sem esta tecnologia? Entretanto o fundamental, o mais importante mesmo foi eu fazer um BLOG, nele encontrei vários tipos de amigos. Amigos delicados, amorosos, engraçados, amigos com personalidades variadas,  mas
todos  maravilhosos que me fazem companhia, que me inspiram, e me fizeram cativa a internet, aos blogs.
Todos os dias passeio ou melhor faço viagens interessantíssimas pela internet e encontro blogs nos quais me perco de bom grado lendo poesias, crônicas, vendo lindos trabalhos artesanais, pinturas, leituras profundas ou bem humoradas. Abriu-se um mundo novo para mim quando passei a ser “blogueira”.
Acho que além de pintar que é minha vocação e profissão, tenho agora uma nova profissão a de fazer amigos virtuais, que aliás, eu considero reais, presentes em minha vida diária e assim bem mais feliz.
E também por isso abri este outro blog, para colocar os trabalhos de meus queridos amigos, com a permissão deles é claro.
Agradeço a todos os que quiserem compartilhar desse espaço e mais uma vez obrigada  pela companhia, pelo afeto, pela presença de vocês na  minha existência.
Léah